O que é necessário para se cadastrar no Programa

Ser Mãe Coruja

Municípios atendidos pelo Mãe Coruja

Cantos Mãe Coruja

Notícias do Blog

Encontro reúne profissionais do Mãe Coruja em Limoeiro

 

Para comemorar os doze anos de atuação do Programa Mãe Coruja Pernambucana, profissionais vinculados aos Cantos Mãe Coruja das Gerências Regionais de Saúde (GERES) I, II e XII, se reuniram e debateram a assuntos ligados ao processo de trabalho. Ao todo, compareceram técnicos de Monitoramento e Avaliação, além de professores dos Círculos de Educação e Cultura dos municípios de Araçoiaba, Cumaru, Salgadinho, Casinhas, Aliança, Condado, Ferreiros, Macaparana e São Vicente Férrer.

 

 

O momento iniciou-se com café da manhã e logo após, com a passagem de um vídeo relatando o início do PMCP. Em seguida, os profissionais tiveram a oportunidade de escutar o depoimento de três mulheres participantes do programa, sua experiência e o que significava para elas.

 

 

 

De Araçoiaba, na Região Metropolitana do Recife (RMR – IGERES), Silvania Sampaio da Silva relatou que quando descobriu a filha teria microcefalia, ficou bastante abalada. “Entrei em depressão e o chão caiu”, disse. Por conta do incentivo de uma profissional, resolveu buscar apoio no Mãe Coruja. “A primeira vez que eu fui no Canto, eu amei, e dali não quis sair mais. Meu pai me incentivou todos os dias a continuar indo para o Mãe Coruja.  É onde eu me sinto bem, eu agradeço”, continuou. Silvana pretende persistir no Mãe Coruja, indo para palestras, e comparecendo às atividades.

 

 

Luziara Rodrigues da Silva, de Ferreiros, mãe de dois filhos, sendo um de 6 anos e outro de 2 anos e quatro meses, aproveitou para falar sobre como se sentiu empoderada ao participar do PMCP. “Eu era uma pessoa muito tímida, com autoestima muito baixa, porque eu tinha saído de um relacionamento muito complicado”, disse. No início não tinha muita vontade de frequentar a algumas atividades do programa, mas depois iniciou nos Círculos de Educação e Cultura. “As professoras me deram força, me incentivaram. Eu agradeço muito pela paciência que elas tiveram”, continuou. Apesar das dificuldades, com dois filhos para cuidar, Luziara já mostra orgulhosa as suas conquistas desde que entrou no PMCP. “Fiz um curso de Bombeiro Civil, já me formei, fiz vários outros porque o Mãe Coruja tem me mostrado que a mulher tem poder, tem vontades e pode conseguir tudo aquilo que ela quer. Quando conhecemos alguém que nos ajuda, que nos motiva, a gente ganha o mundo”, afirmou. Atualmente, Luziara está realizando o curso de Saboaria Artesanal, e quer fazer disso uma nova fonte de renda, aceitando encomendas para o período natalino.

 

 

 

 

De Cumaru, também na Mata Norte de Pernambuco, Maria Natanailza de Arruda agradeceu à equipe do Canto Mãe Coruja pela ajuda e apoios que recebeu do programa, sobretudo no acompanhamento psicológico, diante de uma situação difícil que enfrentou durante uma gestação, há um ano e meio. “Com 18 semanas, eu descobri que minha filha tinha uma deformação, a anencefalia. Pra quem não conhece, isso ocorre quando calota craniana do feto não fecha. Eu não queria mais dentro de mim. Foi quando ela começou a mexer”, disse.  Isso fez Natanailza alimentar esperanças e hesitar sobre a interrupção da gravidez, mesmo sabendo que o bebê não vingaria após os nove meses. “Eu dizia que não queria fazer o aborto. Eu a sentia mexer”, contou.

 

 

 

 

Após o relato das mulheres, ocorreram apresentações de técnicos dos Cantos, incluindo relatos sobre o impacto do programa, do seu ponto de vista, na vida das mulheres que acompanhavam, a importância do cuidado em todo o pré-natal e do estímulo ao desenvolvimento infantil. A equipe de Condado fez uma paródio musical, enquanto a equipe de Ferreiros trouxe uma rede enfeitada simbolizando a articulação do programa com parceiros presentes nos territórios.

 

O evento finalizou com agradecimentos e a entrega de cesta natalina para as mulheres que compartilharam suas experiências. Estiveram presentes a diretora do PMCP, Virgínia Holanda, a gerente da I Regional de Saúde (Geres), Polyanna Ribeiro, a gerente da II Geres, Luciana Bezerra, a gerente da XII Geres, Daniele Uchoa, a gerente de Monitoramento do PMCP, Ana Maria Oliveira, a coordenadora do PMPC para a I, II e XII Geres, Josoilma Carvalho, a representante da Secretaria estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude Maria Adélia Gonçalves, a representante do Instituto Agronômico de Pernambuco, Ana Paula da Silva, além das coordenadoras regionais do CEC da II e XII Geres.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram has returned invalid data.
© 2015 - 2019 Mãe Coruja Pernambucana
Mãe Coruja
Governo do Estado do Pernambuco